Um contentor com 90 mil garrafas de vodka, que as autoridades acreditam que iriam ser levadas para a Coreia do Norte, foram apreendidas esta terça-feira por agentes alfandegários da Holanda.

De acordo com o porta-voz da alfândega, Roul Velleman, citado pela CNN, no total foram apreendidas 300 caixas com garrafas no porto de Roterdão. A mercadoria estava a bordo de um navio da companhia China Cosco Shipping. 

"Seguimos um perfil de risco e tínhamos a informação de que este contentor tinha qualquer coisa. E estávamos certos. Era vodka com destino à China, provavelmente para ir para a Coreia do Norte", afirmou, acrescentando que a informação foi passada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros.

No entanto, o porta-voz negou confirmar que a vodka era para o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un.

"Tudo o que posso dizer é que era para a Coreia do Norte. Estamos 90% certos (de que era) o destino final", acrescentou.

A Coreia do Norte tem enfrentado várias sanções internacionais, entre as quais a proibição de importar bens de luxo, por causa das violações das resoluções da ONU e dos testes nucleares.

Foi por causa destas sanções que o contentor em causa foi apreendido, numa investigação ordenada pelo ministro Sigrid Kaag.

"O Conselho de Segurança da ONU impôs claras sanções à Coreia do Norte, por isso é importante reforçar essas sanções. As sanções incluem a importação de bens de luxo e por isso a alfândega estava completamente certa em descarregar esse contentor", afirmou Jeroen van Dommelen.

A apreensão surge numa altura em que Kim Jong-Un se encontra no Vietname para uma cimeira com Donald Trump.