Especialistas europeus uniram hoje esforços para salvar um navio em chamas ao largo do Sri Lanka, que poderá verter centenas de toneladas de combustível no Oceano Índico e provocar uma maré negra.

Os funcionários da empresa de resgate holandesa Smit "estão a trabalhar com as autoridades locais para tentar salvar o navio e sua carga", disseram os proprietários do navio num comunicado.

O incêndio a bordo do navio porta-contentores X-Press Pearl, registado em Singapura, já dura uma semana e ainda não foi possível controlar as chamas, principalmente devido aos fortes ventos.

Um helicóptero militar despejou quase meia tonelada de produtos químicos retardadores de chamas no navio na quarta-feira, mas sem sucesso.

A guarda costeira indiana está a cooperar com um navio da marinha do Sri Lanka e quatro rebocadores para tentar apagar o fogo no X-Press Pearl, que transportava 25 toneladas de ácido nítrico, entre outras coisas.

O incêndio enfraqueceu a estrutura do navio de 186 metros de comprimento, que poderá vergar e verter o seu óleo, de acordo com a Autoridade de Proteção Ambiental Marinha do Sri Lanka (MEPA).

O fogo percorre todo o comprimento do navio. O casco pode não estar estável o suficiente para que possamos rebocá-lo para fora de nossas águas", disse à agência de notícias AFP a presidente do MEPA, Dharshani Lahandapura.

O navio, ancorado ao largo do porto de Colombo, também transporta 278 toneladas de combustível e 50 toneladas de diesel marítimo, acrescentou.

O navio porta-contentores estava a caminho de Colombo vindo do Estado indiano de Gujarat quando o incêndio começou a 14 quilómetros da costa em 20 de maio. O fogo teria começado num contentor de ácido nítrico, espalhando-se rapidamente pelo navio, disse Lahandapura.

As autoridades estão a investigar as circunstâncias da fuga do ácido nítrico que a tripulação supostamente notou antes mesmo de entrar nas águas do Sri Lanka.

“Se o problema tivesse sido resolvido então, não estaríamos a enfrentar esta crise”, acrescentou a responsável, preocupada com a região turística e pesqueira de Negombo, a 40 quilómetros ao norte de Colombo.

O exército foi hoje deslocado para a praia de Negombo para limpar os destroços de um contentor que encalhou lá. Oito contentores caíram no mar após uma explosão a bordo na terça-feira.

A polícia também prendeu oito pessoas que estavam a recolher plásticos e cosméticos do navio, em violação do confinamento imposto contra o novo coronavírus.

Em setembro do ano passado, o petroleiro New Diamond ardeu por uma semana inteira na costa leste do Sri Lanka após uma explosão na sala de máquinas que matou um membro da tripulação. Seguiu-se um derramamento de óleo de 40 quilómetros de extensão.

O Sri Lanka exigiu 17 milhões de dólares aos proprietários do petroleiro para cobrir os custos de limpeza.

/ RL