Uma delegação norte-coreana chegou hoje à Malásia para reclamar o corpo do meio-irmão do líder da Coreia do Norte, morto no aeroporto de Kuala Lampur com o químico VX, um poderoso agente nervoso, a 13 de fevereiro.

O cadáver de Kim Jong-nam, meio-irmão do líder norte-coreano Kim Jong-un, está no centro de uma batalha diplomática entre a Coreia do Norte e a Malásia.

A Coreia do Norte opôs-se à realização da autópsia pelas autoridades malaias, enquanto a Malásia tem resistido em entregar o corpo sem a obtenção de amostras de ADN e a confirmação de parentes próximos.

Kim Jong-nam, de 45 anos, é o nome mais importante que foi assassinado sob o regime de Kim Jong-un desde a execução do tio do líder, Jang Song-Thaekm, em 2013. As duas vítimas seriam bastante próximas uma da outra. 

Kim Jong-nam, filho mais velho do falecido líder da Coreia do Norte Kim Jong-Il, pediu ao meio-irmão Kim Jong-Un, atual líder do país, que lhe poupasse a vida e a da família depois de ter sobrevivido a uma tentativa de assassinato em 2012.

Kim Jong-nam passava muito tempo fora da Coreia do Norte e já tinha contestado publicamente o regime ditatorial do meio-irmão.

/ AM