A administração Biden vai abrir instalações adicionais para migrantes, após terem sido reveladas imagens de um centro de detenção no Texas que mostram crianças amontoadas em salas improvisadas e sobrelotadas, noticia a BBC.

Esta autêntica "cidade de tendas" administrada pelo governo norte-americano em Donna, na fronteira dos Estados Unidos com o México, abriga atualmente cerca de mil migrantes.

As fotografias são as primeiras a mostrar as condições deste tipo de instalações desde que Joe Biden assumiu a presidência do país.

Críticos culpam Biden pelo aumento da migração ilegal

Desde que assumiu o cargo em janeiro, Joe Biden removeu algumas das restrições para quem entra nos Estados Unidos, introduzidas pelo antecessor, Donald Trump.

O governo de Biden reverteu a política de rejeitar crianças desacompanhadas na fronteira, optando por processá-las e colocá-las com famílias de acolhimento nos Estados Unidos.

Na segunda-feira, a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, avançou que o governo norte-americano está tentar fornecer mais instalações para quem chegar "nos próximos dias e semanas".

Lugares onde as crianças podem ter acesso a cuidados de saúde, recursos educacionais e até mesmo recursos legais”, enumerou.

Estas declarações surgem após o congressista do Texas, o democrata Henry Cuella, ter revelado, na segunda-feira, imagens de crianças a dormir em colchões finos no chão e com cobertores de alumínio, na instalações de Donna.

As imagens, alegadamente captadas no fim de semana, levantaram ainda preocupações sobre a falta de distanciamento social em tempo de pandemia.

De recordar que o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças norte-americano (CDC) recomenda que as pessoas permaneçam a um mínimo de dois metros de distância entre si, para evitar a propagação da covid-19.

O congressista que denunciou a situação avançou ainda que os migrantes foram divididos entre oito "cápsulas de plástico" sobrelotadas.

Também os ativistas de direitos humanos alertam que o migrantes não têm acesso adequado a sabão ou comida.

"Estas fotografias mostram o que já dissemos há muito tempo, que estas instalações de patrulha de fronteira não são lugares feitos para crianças", disse a porta-voz da Casa Branca. "Não são lugares onde queremos que as crianças fiquem por um longo período de tempo."

A porta-voz adiantou ainda que a alternativa era mandar as crianças de volta "nesta jornada traiçoeira - e essa não é, na nossa opinião, a escolha certa a fazer".

Os jornalistas não são permitidos dentro dos centros de detenção desde que Biden assumiu o cargo, embora a Casa Branca tenha afirmado que serão.

Rafaela Laja