O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro denunciou que os barcos que barcos estrangeiros que transportam gasolina e alimentos para o país foram sabotados, uma “tortura ao corpo económico do país”.

Quando não nos roubam o dinheiro, perseguem os nossos barcos, os barcos que trazem gasolina. Na semana passada sabotaram 10 barcos, para que não chegassem às costas venezuelanas", disse.

Nicolás Maduro, falava durante uma reunião com membros do seu Governo, em Caracas, transmitida pelas televisões venezuelanas.

De todas as maneiras esse problema está já em vias de solucionar-se. E vamos normalizá-lo e estabelecê-lo definitivamente", frisou.

Maduro denunciou ainda que foi sabotado o envio de alimentos que seriam distribuídos ao povo pelos Comités Locais de Abastecimento e Produção (CLAP), a preços subsidiados.

Os barcos que traziam os CLAP foram sabotados e não partiram dos portos de onde iriam partir. É uma perseguição aos alimentos, aos medicamentos, a um país inteiro e a tortura ao corpo económico do país", frisou.

Segundo Nicolás Maduro o bloqueio imposto pelos Estados Unidos contra a Venezuela levou ao bloqueio de mais de 30.000 milhões de dólares que seria usado para comprar materiais médicos e alimentos para atender as necessidades do povo.

Entre as empresas afetadas pelas sanções do Departamento de Estado dos EUA está a Citgo Petroleum, filial da estatal Petróleos da Venezuela SA, em Houston, EUA, que o Presidente Nicolás Maduro diz ter sido "roubada".