Um tsunami atingiu esta sexta-feira as cidades de Palu e Donggala, na ilha indonésia de Sulawesi, antes sacudida por dois sismos, anunciou a Agência Nacional de Mitigação de Desastres indonésia, que fala em famílias desaparecidas.

Segundo o porta-voz da agência, Sutopo Purwo Nugroho, o tsunami arrastou casas e há famílias desaparecidas.

Em declarações transmitidas pela televisão, Sutopo disse que as comunicações com a zona atingida estão em baixo e que as operações de salvamento estão a ser dificultadas pela escuridão.

A agência indonésia tinha emitido um alerta de tsunami, que foi levantado pouco depois.

Os dois sismos, com magnitudes de 6,1 e 7,5, fizeram pelo menos um morto e dez feridos, segundo as autoridades.

O sismo mais forte, às 18:02 locais (11:02 em Lisboa), ocorreu a uma profundidade de dez quilómetros e a 56 quilómetros a nordeste de Donggala, na ilha de Sulawesi, segundo o serviço geológico norte-americano (USGS, na sigla em inglês.

No primeiro tremor de terra, de magnitude 6,1 e que ocorreu às 15:00 locais (08:00 em Lisboa), pelo menos uma pessoa morreu, dez ficaram feridas e dezenas de casas sofreram danos, segundo a Agência Nacional de Mitigação de Desastres indonésia.

A vítima foi atingida por um edifício que ruiu", disse a agência em comunicado.

Segundo o USGS, este sismo teve o seu centro a uma profundidade de 18 quilómetros, a cerca de 30 quilómetros a norte da cidade de Donggala, no centro da ilha..

A Indonésia é frequentemente afetada por sismos por se encontrar no "Anel de Fogo do Pacífico", um círculo de vulcões e falhas sísmicas na bacia do Pacífico.

Em dezembro de 2004, um sismo de magnitude 9,1 ao largo de Sumatra, oeste da Indonésia, provocou um tsunami que matou 230 mil pessoas numa dezena de países.