O "elefante mais solitário do mundo" está prestes a perder a sua alcunha e deverá viajar para o Camboja, onde será acolhido num santuário de animais, revelou a associação internacional Quatro Patas.

De acordo com Martin Bauer, porta-voz da associação, Kaavan, o elefante, deverá vaijar para o santuário no domingo, depois de quatro anos de luta para retirar o animal do Paquistão.

A associação Quatro Patas, conhecida por orquestrar missões de resgate animal, vai acompanhar Kaavan até ao seu destino.

A depressão de Kaavan começou em 2012 quando perdeu a sua parceira para uma infeção do tecido muscular. Ambos estavam no jardim zoológico de Marghazar, em Islamabad, por mais de 25 anos.

Depois de morrer, o corpo da parceira de Kaavan esteve ao lado do elefante durante vários dias, antes de ser removido e, segundo o veterinário principal do jardim zoológico, Amir Khali, terá sido essa realidade que fez despoletar os problemas psicológicos do elefante.

Um dos mais influentes apoiantes de uma transferência do elefante para um santuário animal foi a cantora e atriz norte-americana Cher. A artista viajou este sábado para o Paquistão para celebrar a saída de Kaavan do jardim zoológico de Marghazar.

Por questões de segurança, a programação de Cher não foi divulgada. No entanto, ela encontrou-se com o primeiro-ministro Imran Khan na sexta-feira e deve visitar Kaavan já no domingo.

O gabinete do primeiro-ministro do Paquistão divulgou um vídeo onde mostra a sua reunião com Cher.

No Twitter, a cantora agradeceu o tempo disponibilizado por Imran Khan e sublinhou os longos anos de batalha para levar o elefante mais solitário do mundo para um sítio onde pudesse combater a sua depressão.