O governo francês anunciou esta sexta-feira que vai proceder ao encerramento de fronteiras a países fora da União Europeia. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro, Jean Castex, que adiantou ainda que vão passar a ser exigidos testes a todos os viajantes dos 27 Estados-membros da comunidade, como é o caso de Portugal.

A medida faz parte de um endurecer de restrições, ainda que o executivo pretenda "dar uma chance para evitar o confinamento".

Qualquer entrada ou em saída de França de ou para um país fora da União Europeia será proibida a partir de domingo", revelou o primeiro-ministro.

Como medidas adicionais, todas as lojas não alimentares com área superior a 20 mil metros quadrados serão encerradas no domingo. O teletrabalho vai voltar a ser reforçado, bem como as suas medidas de fiscalização.

Estas decisões foram tomadas esta noite, após um Conselho de Defesa reunido no Palácio do Eliseu, em Paris, e reuniu o Presidente da República, membros do governo e os principais conselheiros que ajudam o executivo a tomar decisões durante a pandemia.

 A França escolhe assim impor outras medidas em vez de um novo confinamento generalizado. Uma das principais medidas é o encerramento das fronteiras a todos os voos vindos de países de fora da União Europeia a partir de domingo.

De forma a fazer respeitar o recolher obrigatório, o primeiro-ministro disse que os controlos "vão ser reforçados", com mais polícia nas ruas e mais fiscalizações a restaurantes e festas clandestinas.

Desde o início da pandemia já morreram em França mais de 75 mil pessoas e já foram detetados mais de 3 milhões de casos positivos.

António Guimarães / com Lusa