O número de mortos provocados pelo ciclone Idai e as cheias que se seguiram subiu para 493, anunciaram esta sexta-feira as autoridades moçambicanas.

O último balanço, apresentado pelo centro de operações de socorro da cidade da Beira, aponta ainda para 1.523 feridos e 839.748 pessoas afetadas pelo desastre natural, de 14 de março.

Moçambique foi o país mais afetado pelo ciclone Idai, com 493 mortos. O balanço anterior apontava para 468 vítimas mortais. O número de feridos mantém-se nos 1.523, contabilizados pelo centro de operações de socorro da cidade da Beira.

O ciclone afetou mais de 800 mil pessoas no centro do país, mas as Nações Unidas estimam que 1,8 milhões precisam de assistência humanitária urgente.

Um total de 135.578 pessoas foram salvas e abrigadas em centros temporários, 7.422 dos quais estão em situação vulnerável (grávidas e idosos).