«O Boko Haram está a abusar do horrendo, da crueldade inqualificável, do total desrespeito pelas vidas humanas e da destruição gratuita de bens», afirmou o comissário da União Africana, Nkosazana Dlamini-Zuma.