A organização extremista Al-Qaeda quer continuar "a guerra" contra os Estados Unidos "em todas as frentes, a menos que os militares daquele país" deixem "o mundo islâmico", advertiu esta sexta-feira um porta-voz do grupo.

As ameaças deste porta-voz, que foram divulgadas com exclusividade pelo canal de notícias CNN, foram realizadas quando se assinalam, este fim de semana, 10 anos sobre a morte do líder da Al-Qaida Osama bin-Laden, o mentor dos atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos.

Bin Laden foi morto pelas forças de operações especiais dos Estados Unidos na sua residência, localizada próxima de um complexo militar na cidade de Abotabad, no Paquistão, em 02 de maio de 2011.

A CNN garantiu que conseguiu entrevistar o porta-voz da Al-Qaida por meio de intermediários. O membro da organização ‘jihadista’ afirmou que a “guerra” contra os EUA está “longe do fim”.

Estas declarações também ocorrem quando o Governo norte-americano, liderado pelo democrata Joe Biden, prepara a saída do exército dos Estados Unidos do Afeganistão, o que pode acontecer a partir de setembro próximo.

/ RL