Está a decorrer uma caça ao homem em França, neste domingo, com mais de 200 polícias em perseguição a um ex-militar "fortemente armado".

Os residentes em Lardin-Saint-Lazare, na Dordonha, região da Nova Aquitânia, foram já aconselhados a permanecerem nas suas casas.

Nas buscas participam ainda quatro meios aéreos.

O fugitivo, com cerca de 30 anos, ter-se-á colocado em fuga para uma zona de mato após disparar sobre a polícia quando esta respondia a uma denúncia de violência doméstica.

O homem, que foi ainda descrito pelas autoridades como "atlético e rápido", estava com pulseira eletrónica devido a uma condenação por violência doméstica.

Conseguimos localizá-lo numa área de cerca de quatro/cinco quilómetros, mas é uma área arborizada e de difícil acesso. O contacto com o suspeito foi estabelecido várias vezes, seguido por tiros. Cada vez que os agentes tentavam aproximar-se, ele disparava", descreveu a autarca Francine Bourra, citada pela agência francesa AFP, adiantando também que, até ao momento, a polícia não ripostou.

Fonte ligada à investigação disse à AFP que o suspeito representou o exército entre 2011 e 2016.

Na noite de sábado, o ex-militar surgiu à porta da casa da antiga companheira, tendo agredido o atual companheiro desta. Quando a polícia chegou ao local, o agressor terá disparado sobre os agentes antes de fugir para o mato.

Catarina Machado