Elementos das Forças Armadas do Mali mataram 20 alegados jihadistas, numa operação militar conjunta, no sábado, com a força francesa Barkhane, na região de Menaka, no leste do país.

Segundo um comunicado das Forças Armadas do Mali (FAMA), citado pela agência Efe, a “operação permitiu neutralizar cerca de vinte terroristas”.

O grupo a que pertencem os alegados terroristas não foi identificado, mas o autodenominado 'Estado Islâmico no Grande Saara' (EIGS) está ativo essencialmente nesta região de Menaka, junto à fronteira com o Níger.

A instabilidade que afeta o Mali começou com o golpe de Estado de 2012, quando grupos tuaregues rebeldes, com organizações jihadistas, assumiram o controlo do norte do país durante dez meses.

Os jihadistas foram, teoricamente, expulsos em 2013, na sequência de uma intervenção militar internacional liderada pela França, mas extensas áreas do país, sobretudo no norte e centro, escapam ao controlo estatal, situação de que se aproveitam grupos terroristas locais.