O CEO do Airbnb anunciou no sábado que a plataforma de arrendamento de imóveis por curtos períodos vai deixar de disponbilizar casas para festas, depois de um tiroteio na noite de Halloween na California em que morreram cinco pessoas. 

Os disparos ocorreram durante uma festa organizada em Orinda por uma mulher que informou o anfitrião do Airbnb que estava a preparar uma reunião familiar para uma dúzia de pessoas e que, por isso, precisava de uma casa maior. 

Porém, o evento foi anunciado nas redes sociais e juntou mais de 100 pessoas.

A partir de hoje, banimos as casas para festas e redobramos os esforços para combater as festas não autorizadas e livrarmo-nos de comportamentos abusivos dos hóspedes, inclusivamente condutas que conduzam a acontecimentos terríveis como os que vimos em Orinda", escreveu no Twitter Brian Chesky, CEO e cofundador do Airbnb.

 

Para levar a cabo estas medidas, o Airbnb vai analisar "manualmente as reservas de alto risco assinaladas pela nossa tecnologia de deteção de riscos", criando igualmente uma equipa de resposta rápida no caso de serem notadas "casas de festa", tomando "ação imediata" contra os hóspedes que violem as regras. 

Temos de fazer melhor, e faremos", sublinhou Chesky. "Isto é inaceitável". 

Segundo a AFP, o dono da casa onde aconteceu o tiroteio na California, Michael Wang, explicou à imprensa local que o imóvel tinha sido arrendado para uma reunião familiar. Três pessoas morreram no local e mais duas no hospital na sequência do tiroteio na noite de Halloween.