Jair Bolsonaro não se livra da fama onde quer que vá, mesmo que o ir seja à cimeira do G20, a reunião dos líderes mundiais que decorreu em Roma, Itália, no último fim de semana.

Depois de pisar Angela Merkel, que lhe disse, segundo o próprio, que só podia ser ele a pisá-la, confundiu John Kerry, enviado-especial dos Estados Unidos para o clima e antigo secretário de Estado, com Jim Carrey, o ator e comediante.

Foi na segunda-feira, durante uma visita a Anguillara Veneta, já depois de concluídos os trabalhos, quando o presidente respondia aos jornalistas brasileiros sobre como decorreram os encontros com os líderes mundiais e, no caso concreto, como foi abordada a política climática do Brasil.

Sim, conversei com o Jim Carrey também, uma conversa reservada. Desculpem, mas não posso falar com vocês", disse Bolsonaro.

 

O momento tornou-se viral nas redes sociais e chegou inclusive ao talk show norte-americano The Late Show, de Stephen Colbert. O comediante disse que Bolsonaro "queria mesmo" referir-se a Jim Carrey quando falava sobre a política climática do Brasil, fazendo depois vários trocadilhos com alguns filmes do ator norte-americano, como "mentiroso" e "todo poderoso".

No entanto, nos vídeos partilhados nas redes sociais, não se ouve a questão. E o jornalista que questionou Bolsonaro sobre o encontro com John Kerry lançou a pergunta com Jim Carrey, como se pode, aliás, ouvir no primeiro vídeo desta notícia.

Ainda sobre a relação, ou a falta dela, com os Estados Unidos, Jair Bolsonaro disse que não conseguiu falar com o homólogo norte-americano Joe Biden.

Não consegui falar com o presidente Joe Biden, ele parece muito reservado com todo o mundo, fala muito pouco, diferentemente do Trump. Mas para nós interessa-nos sim uma política cada vez maior de aproximação com os Estados Unidos, como se fosse uma continuidade do que acontecia com Trump. Falei muito com ele no passado. Afinal, os nossos países se completam."

Outro momento viral da cimeira do G20, mas do qual não há imagens, foi a pisadela de Bolsonaro à ainda chanceler alemã Angela Merkel.

O presidente do Brasil contou que teve um encontro "excelente" com Merkel e contou como acabou por pisá-la.

Naquela tarde estávamos numa sala com muita gente e acabei por dar um passo atrás e pisar o pé dela. Ela disse: 'só podia ser você'. Ela já me conhece bastante. Não sou um cara grosso, sou objetivo", disse.

Já em Brasília, nesta quarta-feira, Bolsonaro cometeu nova gafe sobre a viagem a Itália, ao chamar Salvati a Matteo Salvini, política da extrema-direita italiana, que esteve com o presidente do Brasil num evento à margem do G20, de homenagem aos soldados brasileiros que morreram na II Guerra Mundial.

"Também esteve lá o Salvati, acho que foi primeiro-ministro da Itália e é senador agora", disse Bolsonaro, referindo-se ao antigo vice-primeiro-ministro e ministro do Interior de Itália entre 2018 e 2019.

Catarina Machado