A presidente da Comissão Europeia garantiu este domingo que a farmacêutica AstraZeneca se comprometeu a entregar nove milhões de doses adicionais da vacina contra a covid-19. 

O anúncio foi feito por Ursula von der Leyen através do Twitter, onde garantiu que chegará aos 27 Estados-membros um total de 40 milhões de doses da vacina até ao final de março.

A responsável fala num "passo em frente nas vacinas", isto depois de a semana que agora termina ter sido marcada por uma longa contenda entre a União Europeia e a farmacêutica britânica. 

Adicionalmente, e ainda segundo Ursula von der Leyen, a AstraZeneca vai adiantar em uma semana o prazo de entrega das vacinas. A empresa vai ainda expandir a capacidade de manufaturação na Europa.

A UE está atrasada no processo de garantir a vacinação dos seus 450 milhões de habitantes, em comparação com o Reino Unido e os Estados Unidos. A lentidão do processo tem sido atribuída a problemas nacionais e ainda no atraso da aprovação de vacinas em comparação com outros países, e nos escassos fornecimentos garantidos inicialmente.

Em declarações à cadeia televisiva alemã ZDF, Ursula von der Leyen também confirmou o objetivo de vacinar 70% dos adultos do espaço comunitário “até ao final do verão”, e após o anúncio sobre o aumento das entregas das vacinas pela AstraZeneca.

Queremos que 70% dos adultos da UE sejam vacinados desde agora até ao final do verão”, declarou a presidente da Comissão Europeia, ao reafirmar o objetivo anunciado em 19 de janeiro, mas que tinha ficado comprometido com os atrasos na entrega do medicamento.

A Comissão Europeia aprovou no dia 29 de janeiro a vacina da Astrazeneca/Oxford da covid-19, horas depois da Agência Europeia do Medicamento ter dado a sua luz verde.

Veja também: Vacina da AstraZeneca já foi aprovada: estas são as vantagens e desvantagens

A vacina da AstraZeneca é uma das que vai chegar a Portugal, que está já a administrar os produtos da Pfizer e da Moderna.

António Guimarães