A boneca Barbie completa, este sábado, 60 anos. Criada por Ruth Handler, proprietária da empresa Mattel, em conjunto com o marido Elliot, a boneca foi pensada, numa fase inicial, como forma de as crianças se poderem projetar a elas próprias enquanto adultas.

Lançada a 9 de março de 1959 na New York Toy Fair (Feira de Brinquedos de Nova Iorque), na altura, era apenas uma simples boneca loira, com um fato-de-banho, um rabo de cavalo e uns óculos de sol na mão.

Passaram-se 60 anos desde então, mas continua a ser dos brinquedos mais populares entre as crianças. Segundo a CNN, todos os anos são vendidas cerca de 58 milhões.

Lisa McKnight, vice-presidente e gerente global da marca, explica que a Barbie continua presente ao final destes anos todos porque “continuou a refletir a cultura e aquilo que as raparigas do mundo vêem à sua volta”.

No entanto, o sucesso, na sua maioria, não é um percurso fácil.

Em 1960, um ano depois, já existia a versão enfermeira, editora de moda e comissária de bordo. Em 1961, surge o namorado, o Ken, e no seguinte já tinha um carro e uma casa.

Não faltou muito para começarem a surgir as críticas sobre as proporções magras, o seu tom de pele, e a suposta defesa pela dona de casa perfeita.

Hoje cumpre 60 anos e deve ser das mulheres que mais profissões teve ao longo da vida: foi cirurgiã, astronauta, jornalista, patinadora, bombeira, entre outras.

/ CE/AM