Os Estados Unidos condenaram, em comunicado, o duplo atentado levado a cabo pelo Estado Islâmico em Bagdade, em que pelo menos 30 pessoas morreram e uma centena ficaram feridas em pleno período do Ramadão.

“Estes ataques brutais, que rompem o jejum do Ramadão, cujas vítimas incluíram crianças inocentes e idosos que levantavam as suas pensões, revelam mais uma vez a selvajaria sem sentido do inimigo que enfrentamos”, indicou o Departamento de Estado.

“Sublinhamos o disse recentemente o Presidente [Donald Trump]: ‘Todos os que valorizam a vida devem unir-se para encontrar, desmascarar e eliminar estes assassinos e extremistas”, acrescenta o comunicado.

Os Estados Unidos, que condenam "da forma mais enérgica" possível os ataques, expressaram também "profundas condolências" às famílias das vítimas e uma "rápida recuperação" aos feridos.

Os dois atentados, que aconteceram na terça-feira com uma diferença de dez horas, foram levados a cabo por suicidas que conduziam carros armadilhados. Ambos ocorreram em zonas de maioria xiita no centro da capital iraquiana.

O primeiro ataque ocorreu pouco depois da meia-noite numa geladaria que estava cheia de famílias que ali se tinham deslocado depois de terem cumprido o tradicional jejum durante o dia.

O segundo ataque aconteceu de manhã, junto à sede do Departamento de Pensões Públicas, na zona de Al Shawaka.