A Índia acusou hoje o exército chinês de realizar "movimentos militares provocatórios" na fronteira entre os dois países, uma "violação" dos acordos estabelecidos depois de um confronto em junho em que morreram pelo menos 20 soldados indianos.

"Na noite de 29 para 30 de agosto, as tropas do Exército de Libertação do Povo Chinês violaram o consenso anterior alcançado durante as reuniões diplomáticas e militares devido ao confronto em Ladakh", indicou o Ministério da Defesa indiano em comunicado.

Segundo o Ministério da Defesa indiano, as tropas chinesas "realizaram movimentos militares provocatórios" na área estratégica do lago Pangong, localizado em Ladakh, no oeste dos Himalaias.

Os militares indianos "tomaram medidas para reforçar as posições [da Índia] e impedir as intenções chinesas de alterar unilateralmente a situação no terreno", acrescentou o Ministério.

As autoridades não deram mais informações sobre o incidente, adiantando apenas que os dois exércitos estão a realizar uma reunião em Chushul, em território indiano, "para resolver a questão".

O novo aumento de tensão entre as duas potências nucleares surge na sequência do choque fronteiriço de 15 de junho no vale de Galwan, no oeste dos Himalaias, o pior incidente do género em 45 anos, no qual pelo menos 20 soldados indianos morreram e 76 ficaram feridos. A China não comunicou quaisquer baixas.

Ambos os países se culparam mutuamente pelo confronto. A Índia acusou o vizinho chinês de concentrar tropas e erguer estruturas na área, enquanto a China alegou que as tropas indianas provocaram os seus soldados.

Nova Deli e Pequim continuam sem chegar a acordo num processo de retirada das tropas na região, após várias reuniões entre altos funcionários militares de ambos os exércitos.

Os dois países mantêm uma disputa histórica em relação a várias regiões dos Himalaias.

A China reivindica cerca de 90.000 quilómetros quadrados de território no nordeste da Índia.

A Índia diz que a China ocupa 38.000 quilómetros quadrados de território no planalto de Aksai Chin, na região dos Himalaias, uma parte contígua da região de Ladakh.

A Índia declarou unilateralmente Ladakh um território federal em agosto de 2019. A China foi dos poucos países a condenar fortemente a medida, referindo-a em fóruns internacionais, incluindo no Conselho de Segurança das Nações Unidas.

A ONU instou os dois lados a "exercerem máxima contenção".

/ AM