O governo alemão quer administrar a terceira dose da vacina contra a covid-19, para conter o aumento contínuo de infeções, seguindo o modelo de Israel.

Os números atuais [de infeções] em Israel mostram que a terceira dose faz a diferença para combater a quarta vaga", disse o ministro da Saúde, Jens Spahn, em declarações ao jornal Bild.

O ministro do governo cessante admite que o atual índice de vacinação é insuficiente e pede a convocação de uma cimeira entre o executivo e os estados federados para ativar a administração da terceira dose da vacina.

Em 24 de novembro, a lei de emergência promulgada no ano passado, através da qual o governo federal assumiu poderes extraordinários para enfrentar a pandemia, deverá ser revogada.

A partir daquela data, as medidas a adotar voltam a ser da competência das autoridades regionais.

Jens Spahn decidiu, na sexta-feira, facultar a terceira dose da vacina a todos os cidadãos que a queiram, o que gerou polémica no país.

Na Alemanha, 66,7% dos cidadãos têm a vacinação completa e não tem sido possível aumentar aquela percentagem, apesar dos múltiplos apelos do meio político aos cidadãos.

O ministro da Saúde alemão vai presidir, na próxima quinta-feira, a uma conferência com os responsáveis dos estados federados e vai propor que se chame os cidadãos com mais de 60 anos para receberem a terceira dose da vacina.

/ AG