Um enfermeiro de 45 anos do estado norte-americano da Califórnia testou positivo à covid-19, mais de uma semana depois de ter sido inoculado com a vacina da farmacêutica Pfizer, revela a Reuters.

De acordo com fonte da ABC News, Matthew W, enfermeiro em dois hospitais, começou por contar que ficou com o braço dorido no dia em que recebeu a vacina, a 18 de dezembro, mas não registou mais efeitos secundários.

Seis dias depois, na Véspera de Natal, o enfermeiro adoeceu após um turno na ala de covid-19, de um dos hospitais onde trabalha. Matthew relatou ter tido "arrepios" e, mais tarde, dores musculares e fadiga. 

O enfermeiro deslocou-se a um centro de testes drive in, no hospital, onde testou positivo no dia a seguir ao Natal. 

Um especialista em doenças infeciosas norte-americano, Christian Ramers, explicou à ABC que este não era um cenário "inesperado".

Sabemos, através dos ensaios clínicos à vacina, que demora entre 10 a 14 dias para a pessoa desenvolver a proteção dada pela vacina", disse o especialista, accrescentando que "a primeira dose dá cerca de 50% de imunidade e que é necessário uma segunda dose para alcançar os 95%".

Redação / RL