Um médico pediatra foi morto esta quinta-feira dentro do seu consultório numa clínica privada da cidade de Barra, no oeste do estado brasileiro da Bahia. A vítima, identificada como Júlio César de Queiroz Teixeira e que também prestava serviços como clínico geral, terá sido baleada depois de ter alertado a família de um alegado caso de abuso sexual de crianças.

A denúncia é feita ao jornal G1 pelo irmão da vítima. De acordo com este testemunho, o médico terá identificado sinais de que uma criança que estava a atender estaria a sofrer de abusos sexuais. Júlio César planeava entrar em contacto com a mãe e com a polícia antes de ser baleado mortalmente na cabeça.

"Conversámos sobre uma criança que apresentava sinais de ter sido vítima de abusos sexuais e ele disse-me que tinha de denunciar a situação à mãe e apresentar queixa à polícia”, disse o irmão da vítima ao jornal. 

Segundo relatos, o crime ocorreu logo após um paciente ter saído do consultório de Júlio César. Nesse momento, de acordo com a polícia, o agressor entrou na clínica e disparou várias vezes, atingindo o médico.

Apesar do testemunho do irmão do pediatra, nenhuma linha de investigação foi divulgada pela polícia sobre alegados abusos sexuais estarem na origem do crime.

Redação / HCL