O fim-de-semana foi sangrento no México, com mais de 60 mortos ligados ao crime organizado. Só no estado de Guerrero, no Sul do país, foram mortas 45 pessoas. Em Ciudad Juárez, no Norte, foram assassinadas três pessoas, entre elas uma funcionária consular dos Estados Unidos e o marido.



De acordo com um funcionário norte-americano, citado pela France Presse, as vítimas foram mortas em dois ataques separados, enquanto dirigiam em locais diferentes de Ciudad Juárez. Os ataques seriam de membros de cartéis de droga.

Mas a violência deste fim-de-semana foi maior a Sul. No estado de Guerrero, a região mais atingida foi o porto de Acapulco, onde 31 pessoas morreram em vários tiroteios. Na madrugada de domingo, pelo menos 14 pessoas morreram, entre elas nove supostos traficantes.



Em Ajuchitlán del Progreso, zona Norte do Estado de Guerrero, confrontos entre traficantes e militares fizeram 11 mortos na manhã de sábado.



O crime organizado vitimou também um jornalista. Evaristo Solís foi assassinado a tiros na sexta-feira, numa estrada que leva à cidade de Chilpancingo, capital do distrito.
Redação / MM