O helicóptero onde viajavam Kobe Bryant e a filha Gianna, de 13 anos, acompanhados por mais seis pessoas e o piloto estava a voar sob "Regras Especiais de Voo Visual" (SVFR), de acordo com a conversa entre o controlo de tráfego aéreo com o aparelho, avança a CNN.

De acordo com o site, o piloto - entretanto identificado como Ara Zobayan - teve autorização para voar apesar das condições climatéricas serem piores do que as aconselháveis através das Regras Especiais. 

Assim, a torre de controlo do Aeroporto de Burbank autorizou que o helicóptero seguisse viagem usando a distância SVFR.

"Mantendo Regras Especiais de Voo Visual igual ou inferior a 2.500", confirmou o piloto ao controlador.

Pouco depois, o piloto aparentemente pede "voo seguinte", um serviço em que os controladores estão em contacto regular com a aeronave e é informado de que "está com um nível muito baixo para seguir o voo". Ou seja, que o helicóptero estava muito baixo para ser visto nos radares.

De acordo com a imprensa internacional, o helicóptero onde viajava o basquebolista esteve em círculos durante 15 minuto na zona de Burbank, enquanto aguardava autorização para seguir viagem por SVFR. A autorização foi concedida, mas minutos mais tarde a tragédia aconteceu e a aeronave embateu na montanha.

As condições climatéricas eram de tal forma desaconselháveis para voar que a própria polícia de Los Angeles manteve os helicópteros no solo. 

"A situação climatérica não correspondia aos padrões mínimos de voo", afirmou o porta-voz do departamento, Josh Rubenstein, da Divisão de Suporte Aéreo do Departamento de Polícia de Los Angeles.

Esta segunda-feira foi divulgada a identidade dos restantes passageiros que seguiam no helicóptero para um torneio da equipa de Gianna, na Mamba Sports Academy, fundada por Kobe Bryant.

Apesar da polícia ainda não ter confirmado a identidade dos passageiros, alguns nomes já foram divulgados por familiares ou organizações. 

A bordo da aeronave seguiam Alyssa Altobelli, também de 13 anos, colega de equipa de Gianna, o pai John Altobelli, treinador e ex-jogador de basebol, e a mãe Keri Altobelli.

Payton Chester, também companheira de equipa e amiga de Gianna, e a mãe Sarah, também seguiam a bordo, confirmou a família no Instagram, numa publicação que entretanto foi eliminada.

Christina Mauser, assistente de Kobe na Mamba Sports Academy, é outra das vítimas mortais, segundo revelou o marido numa publicação no Facebook.

/ AM