O número de mortos na sequência da queda de um autocarro de um viaduto, no estado brasileiro de Minas Gerais, aumentou para 14, segundo uma atualização feita na tarde de hoje pelos bombeiros locais.

Segundo disse à imprensa o tenente do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, Pedro Aihara, 11 pessoas morreram no local, três perderam a vida a caminho do hospital e 26 cidadãos encontram-se feridos.

Os sobreviventes foram conduzidos para hospitais da região, entre eles duas crianças em estado considerado grave.

O tenente indicou que existe a possibilidade de vítimas estarem ainda presas na estrutura do autocarro ou de terem sido projetadas para outras áreas.

As causas que motivaram a queda do autocaro, de uma altura de cerca de 15 metros, ainda estão sob investigação.

O acidente ocorreu por volta das 13:30 (hora local, 16:30 em Lisboa), no município de João Monlevade, no estado de Minas Gerais (sudeste do país), e levou ao bloqueio parcial da estrada.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o autocarro acidentado tem matrícula proveniente do estado de Alagoas, no nordeste do país, mas ainda não é conhecida a origem e destino da viagem.

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, informou que equipas dos bombeiros, polícia, ambulâncias e helicóptero estavam no local para atendimento aos feridos, mais de duas horas após o acidente.

Equipas dos Bombeiros, polícias, ambulâncias e helicóptero estão no local para atendimento aos feridos, apoio às famílias e apuração dos factos. Todo o aparato do Governo de Minas Gerais foi colocado por mim à disposição das vítimas", escreveu o governador na rede social Twitter.

Há pouco mais de uma semana, um outro acidente entre um autocarro e um camião matou 42 pessoas em Taguaí, no interior do estado de São Paulo.

/ HCL