A futebolista Ada Hegerberg fez história ao tornar-se a primeira mulher a receber a Bola de Ouro, esta segunda-feira. Mas a entrega do prémio ficou marcada por um comentário, considerado sexista, que gerou uma onda de indignação e de críticas nas redes sociais.

No centro da polémica está o DJ francês e anfitrião da cerimónia, Martin Solveig. É que depois de Hegerberg ter subido ao palco para receber o prestigiado prémio, Solveig perguntou à futebolista norueguesa se sabia fazer um twerk, um estilo de dança sensual, que envolve movimentos da anca e agachamentos.

A craque norueguesa, que ajudou a equipa feminina do Lyon a conquistar o campeonato francês e a Liga dos Campeões, respondeu com um perentório “não” e virou as costas de imediato.

A reação nas redes sociais não se fez esperar e o comentário, considerado sexista por muitos utilizadores, gerou uma onda de críticas.

O tenista Andy Murray, por exemplo, mostrou-se indignado com o sucedido e, numa história do Instagram, afirmou que se tratava de "outro exemplo do sexismo ridículo que ainda existe no desporto".  

Por que é que as mulheres ainda têm de levar com isto? Que perguntas fizeram a Mbappé e a Modric? Imagino que algo relacionado com futebol. A todos os que acham que as pessoas estão a exagerar e que foi apenas uma piada… não foi. Eu estou no desporto desde sempre e o nível de sexismo é surreal."

Também o colaborador da Sports Illustrated e da Fox Sports Grant Wahl criticou o momento. "É com esta porcaria que as atletas femininas de todo o mundo tem de lidar, todos os dias", sublinhou. 

A indignação foi tanta que o próprio Solveig sentiu que devia explicar-se em público. O DJ francês disse, numa curta declaração no Twitter, que fez apenas uma piada, “uma piada má”, e pediu desculpas a quem possa ter ofendido.

Foi uma piada, provavelmente uma piada má, e queria desculpar-me a quem possa ter ofendido. Desculpem-me pelo que aconteceu”, vincou.

 

Hegerberg acabou por ser questionada sobre o sucedido. A futebolista, de 23 anos, afirmou que não viu o comentário como algo de cariz sexual e revelou que Solveig até foi ter com ela no final.

“Ele veio ter comigo depois e disse que estava triste que as coisas tivessem acontecido daquela forma. Não pensei nisso naquele momento, não olhei para aquilo como algo sexual”, afirmou.

A primeira mulher a vencer a Bola de Ouro, um dos mais prestigiados prémios de futebol, foi a melhor marcadora do campeonato francês com 31 golos. Hegerberg também marcou 15 golos na Liga dos Campeões.

Na cerimónia desta segunda-feira, o croata Luka Modric foi o futebolista masculino a vencer a Bola de Ouro, pondo fim a uma década de domínio de Cristiano Ronaldo e Messi.