Um grupo de homens armados atacaram um hospital em Cabul matando, pelo menos, dois bebés e 11 mães e enfermeiros.

De acordo com o ministro do interior afegão, citado pela imprensa internacional, o ataque fez ainda 15 feridos no hospital que tem uma maternidade administrada pelos Médicos Sem Fronteiras.

"Homens armados atacaram um hospital no distrito 13", da capital do Afeganistão, disse a porta-voz do Ministério do Interior, Marwa Amini.

Um médico pediatra que se encontrava no local contou que quando soube do ataque "foi o pânico total" e "muitos médicos e doentes" se refugiaram numa cave do hospital.

"Os atacantes entraram a disparar contra qualquer pessoa sem razão. É um hospital governamental e muitas pessoas trazem aqui as crianças e as mulheres para tratamento", contou à Reuters Ramazan Ali, um vendedor que assistiu ao ataque.

Pelo menos cem pacientes e trabalhadores foram retirados do hospital até que foi dado como seguro o regresso ao edifício.

Os atacantes, que conseguiram entrar no edifício por estarem vestidos com fardas policiais, foram abatidos pelas forças especiais do Exército Nacional Afegão. O ataque ainda não foi reivindicado.

Andreia Miranda