Pelo menos 24 mortos e 50 feridos é o novo balanço divulgado esta segunda-feira pelas autoridades afegãs do atentado de sábado contra instalações de campanha do primeiro vice-presidente da lista do chefe de Estado afegão.

No ataque morreram 20 pessoas e 50 ficaram feridas", disse o porta-voz do Ministério do Interior, Nasrat Rahimi.

O balanço anterior dava conta de dois mortos e 25 feridos, de acordo com as autoridades afegãs.

No assalto às instalações de campanha de Amrullah Saleh, ex-diretor dos serviços secretos afegãos e agora candidato à vice-presidência do país com Ashraf Ghani, também morreram os quatro atacantes.

As forças de segurança resgataram ainda 150 pessoas, que ficaram retidas no edifício durante o assalto.

As eleições marcadas para 28 de setembro, as quartas desde o fim do regime dos talibãs em 2001, são disputadas pelo atual presidente e pelo chefe do governo, Abdullah Abdullah, com Ghani a apostar num segundo mandato com promessas de pôr fim à guerra de 18 anos.

O ataque ainda não foi reivindicado, mas os talibãs e o grupo extremista Estado Islâmico têm estado ativos e na origem de vários ataques.

No passado domingo, quatro polícias morreram num ataque suicida, perpetrado junto a uma esquadra na província de Ghazni. Ao todo, na semana passada, 34 pessoas morreram em pelo menos cinco atentados em Cabul.

No sábado, o governo afegão anunciou que vai iniciarão decorrer, dentro de duas semanas, conversações de paz com os talibãs, que têm estado a negociar com os Estados Unidos, por se negarem a falar com as autoridades de Cabul, que consideram ilegítimas.