Os quatro militares portugueses destacados para o Afeganistão chegam esta tarde a Madrid. Nesta missão regressam 19 afegãos que trabalharam junto de portugueses em Cabul, avança a imprensa espanhola com base em dados do MInistério da Defesa.

Espanha anunciou esta sexta-feira o fim das operações para retirar cidadãos de Cabul, após a chegada dos "dois últimos voos espanhóis" ao Dubai, pouco mais de uma semana após iniciar a ponte aérea depois da tomada do poder pelos talibã.

"Um avião militar A400 chegou ao Dubai, proveniente de Cabul, às 07:20. Um segundo voo estava agendado para aterrar às 08:20. Com estes dois voos, a retirada espanhola de colaboradores afegãos e dos seus familiares está terminada", anunciou a presidência do governo, em comunicado.

Segundo o jornal El País, chegam pelas 16:45 à base aérea de Torrejón de Ardoz, em Madrid, num voo fretado à Air Europa a partir do Dubai. Neste voo regressam  "os últimos 81 espanhóis que permaneciam na capital afegã, entre militares, polícias e pessoal da embaixada, assim como os quatro militares portugueses e 85 cidadãos afegãos".

No Twiter, o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánches, deu nota do último voo a partir de Cabul, agradecendo aos militares a operação de repatriamento.

No total, Espanha retirou 1.900 pessoas, seis dos quais civis espanhóis, nesta missão de retirada de Cabul que teve início a 16 de agosto. A maioria - 1.658 pessoas -  são famílias de afegãos que trabalharam para as Forças Armadas espanholas ou em missões de cooperação. Existem também 50 funcionários da NATO, 36 trabalharam para a União Europeia, um para a ONU e 19 trabalharam junto de portugueses no Afeganistão. 

Espanha tinha 60 militares a trabalhar no aeroporto de Cabul na operação de retirada de população, 17 polícias que davam proteção à embaixada e um número não declarado de pessoal diplomático.

A missão de resgate em Cabul teve a participação de três aviões de transporte A400M da Força Aérea, que realizaram 17 voos entre o Dubai e Cabul. Foram ainda fretados 10 voos da Air Europa entre o Dubai e a base aérea de Torrejón de Ardoz.

Portugal recebe 56 afegãos

Quinta-feira à noite, o ministro da Defesa avançava que o trabalho dos quatro militares portugueses no aeroporto de Cabul no apoio à retirada de cidadãos afegãos estaria “praticamente concluído” e estes sairiam de Cabul “dentro de algumas horas”.

Em declarações à SIC esta quinta-feira à noite, João Gomes Cravinho revelou que os quatro militares “atualmente estão empenhados em colocar nos aviões os 38 afegãos identificados e validados” para viajarem para Portugal e que a missão dos quatro miliares “está quase concluída” e sairão de Cabul “dentro de algumas horas”.

O ministro da Defesa referiu que 56 afegãos vão viajar para Portugal nos próximos dias, que os primeiros grupos deverão chegar na sexta-feira e que estes vão ficar instalados em Lisboa. O governante acrescentou que dos 56 afegãos que chegarão a Portugal, 18 já estavam fora de Cabul e 38 no aeroporto internacional Hamid Karzai.

“Temos agora a caminho cerca de 56 [afegãos], que trabalharam diretamente com as forças portuguesas. Haverá também mais, relacionados com as Nações Unidas, e outros, que virão para Portugal nos próximos dias. Penso que os primeiros chegarão amanhã [sexta-feira], mas há grande incerteza ainda relacionado com os voos e os percursos”, salientou João Gomes Cravinho.

Para o responsável pela pasta da Defesa, o “grande objetivo” imediato “é retirar gente de Cabul”, salientando que “isso está a acontecer em direção a múltiplos aeroportos”.
 

Vários países em retirada de Cabul

Também o Reino Unido anunciou que concluirá dentro de algumas horas a operação de retirada do Afeganistão.

A Noruega finalizará também nesta quinta-feira a missão de evacuação no país, onde os talibã tomaram o poder há cerca de duas semanas.

Os voos para tirar pessoas do território afegão foram retomados esta manhã com nova urgência, após os atentados de quinta-feira no aeroporto internacional de Cabul, atribuídos a radicais ligados ao grupo extremista Estado Islâmico.

Paula Oliveira / com Lusa