A imagem é, no mínimo, inesperada: uma idosa, com uma máscara às flores, mostra o dedo do meio para a câmara numa atitude de provocação. Ao lado, a frase: “O dedo do meio esticado a todos os que não usam máscara - nós obedecemos às regras do corona”. Trata-se de um cartaz que faz parte de uma campanha da autoridade para o turismo de Berlim, que escolheu uma forma original de dizer a quem vem de fora que a capital alemã quer proteger a saúde dos mais velhos em época de pandemia de covid-19.

A imagem da idosa de dedo esticado foi publicada num jornal local na terça-feira mas rapidamente se tornou viral nas redes sociais.

 

A maioria dos berlinenses e os nossos hóspedes respeitam e seguem as regras do corona, mas algumas pessoas não. E estas pessoas arriscam as vidas dos mais velhos e dos que pertencem a grupos de risco”, disse Christian Tanzler, porta-voz da Visit Berlin, à BBC. “Queríamos dar atenção a este problema e, por essa razão, escolhemos esta imagem provocadora”, explicou. 

Segundo Tanzler, os berlinenses são conhecidos por serem diretos e apreciarem este tipo de humor. “Usamo-lo de forma muito direta para comunicar exatamente para as pessoas que não respeitam as regras”, frisou. Em Berlim, a máscara é obrigatória em supermercados e transportes públicos.

Apesar da intenção ser leve e humorística, houve muitos berlinenses a quem o cartaz não caiu bem. Nomeadamente aqueles que não podem usar máscara por razões médicas. “O nosso alvo eram as pessoas que não respeitam as vidas das outras. Se algumas se sentiram atacadas porque não podem usar máscara, esse não era o nosso objetivo. Peço desculpa por isso”, disse Tanzler.

A imagem da idosa a mostrar o dedo vai permanecer por Berlim como parte de uma campanha que vai prolongar-se até março de 2021. Outros cartazes da campanha são apenas textuais e um deles ironiza com o lema francês “Liberté, Egalité, Fraternité”, mostrando a frase: "Liberté. Egalité. Charité?” em que Fraternité é substituído pelo nome de um dos mais conhecidos hospitais de Berlim.