A Alemanha está em choque. Esta quarta-feira de manhã Tim Kretschmer matou 16 pessoas na região de Estugarda, antes de ser abatido pela polícia. O atirador matou nove alunos e três professores na escola «Albertville-Realschule», sendo que um dos estudantes feridos acabou por falecer. Após o massacre, o rapaz de 17 anos pôs-se em fuga. Pelo caminho matou ainda mais três pessoas, uma funcionária de uma clínica de doentes mentais e dois transeuntes num parque de estacionamento.

De acordo com as autoridades germânicas, o atirador era um bom aluno e nunca tinha feito nada que pudesse levantar qualquer suspeita. O «Guardian» diz que algumas pessoas consideram que Tim Kretschmer foi influenciado pelo massacre da noite anterior em Alabama, nos Estados Unidos da América.

A família Kretschmer vivia retirada numa casa bastante luxuosa de dois andares em Winnenden. O pai do atirador era membro de um clube de tiro local e tinha um pequeno arsenal de armas de fogo (18 armas) legalmente registadas. Tim Kretschmer vivia no sótão e jogava muito ao computador. Segundo o jornal inglês a família estava bastante bem integrada na comunidade.

Quando Kretschmer entrou na escola, apesar de estar disfarçado com uma farda militar preta e com a cara tapada, foi imediatamente reconhecido pelos professores e pelos antigos colegas.