Uma nova lei na Alemanha, apresentada pelo Ministério da Agricultura, vai obrigar os cidadãos a passear os seus cães pelo menos duas vezes por dia.

A ministra da Agricultura, Julia Klöckner, disse esta quarta-feira que as novas regras surgem a partir da evidência de que muitos dos 9,4 milhões de cães do país não estão a receber o exercício ou os estímulos necessários para se manterem saudáveis.

Segundo a nova legislação, os donos não podem apenas apostar num jogging matinal com os companheiros, antes, são obrigados a passear os animais durante pelo menos uma hora em cada ocasião.

De acordo com o Ministério da Agricultura, a lei foi baseada em novas descobertas científicas que mostram que os cães precisam de “mais atividade e contato com os estímulos ambientais”, incluindo outros animais, a natureza e as pessoas. 

Será proibido ainda amarrar cães a uma corrente ou trela por longos períodos de tempo.

Os cães não são brinquedos fofinhos. Também têm necessidades próprias, que precisam de ser tidas em conta", referiu a ministra da agricultura alemã.

No entanto, a nova medida está a gerar alguma controvérsia até dentro do próprio partido de Klöckner. Especialmente porque não se acredita que as autoridades alemãs consigam supervisionar todos os agregados com companheiros caninos - cerca de 19% do total de agregados em todo o país.

“Não vou levar o meu Rhodesian Ridgeback para dar duas caminhadas quando está um calor de 32 graus, em vez disso, vamos passear um pouco para o rio e dar um mergulho”, ridicularizou a deputada do CDU Saskia Ludwig.