A equipa de mergulhadores da Marinha Portuguesa, integrada numa missão da NATO, inativou 26 engenhos explosivos da segunda Guerra Mundial junto à Alemanha, indicou esta segunda-feira o Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA).

Em comunicado, o EMGFA refere que a equipa mergulhadores sapadores da Marinha Portuguesa, integrada na Força da “Standing NATO Mine Countermeasures Group 1 (SNMCMG1)”, participou na operação “HOD (Historical Ordnance Disposal) Operation Germany” entre 26 e 31 de agosto, com o objetivo de detetar, identificar e inativar engenhos explosivos do passado que ainda se encontram no fundo dos mares.

Durante a operação, esta força detetou um antigo campo de minas, a norte da ilha alemã de Fehmarn, que tinham sido criados durante os antigos conflitos e tinham como objetivo bloquear a navegação em locais estratégicos, adianta.

O EMGFA indica que o navio caça-minas alemão, através do seu ‘drone’ e dos mergulhadores portugueses, detetaram, identificaram e inativaram 26 minas de fundo de origem inglesa, pertencentes à segunda guerra mundial.

Durante os seis dias de operação, os mergulhadores da Marinha Portuguesa realizaram 43 operações de mergulho, 36 das quais de identificação e sete de inativação, segundo o EMGFA.

Os mergulhadores da Marinha Portuguesa vão continuar embarcados até 29 de setembro no caça-minas alemão, integrando a capacidade de Guerra de Minas da NATO a operar no Norte da Europa, em tempo de paz e períodos de conflito, contribuindo para a segurança da navegação e de todas as pessoas que utilizam o mar.