«Estou farto desta vida», «ninguém reconhece o meu potencial», «eu tenho armas e amanhã vou à minha antiga escola fazer um churrasco em grande. Fiquem atentos ao que vai acontecer em Winnenden. Vocês vão ouvir falar de mim amanhã». Estas mensagens escritas num chat da Internet, foram apontadas como tendo sido o aviso de Tim Kretschmer, o jovem de 17 anos que esta quarta-feira matou 15 pessoas numa escola alemã.

As mensagens chegaram a público depois do alerta dado pelo pai de um jovem com quem, alegadamente, Tim estava a conversar na Net. Depois do massacre, o rapaz, também com 17 anos, percebeu que o que leu na noite anterior teria sido o anúncio ao massacre na escola, e avisou o pai.

Mas agora a polícia põe em causa a autenticidade das mensagens. O porta-voz Klaus Hinderer afirmou que a mensagem pode ser falsa, contradizendo uma declaração anterior do secretário do Interior de Baden-Württemberg, Heribert Recht, que disse que as autoridades estavam «completamente convencidas» da autenticidade.

O porta-voz da polícia disse que, numa busca ao computador de Kretschmer, não foram encontrados indícios de que o jovem seja o responsável pelo que foi publicado na sala de chat.