O ministro alemão dos Transportes pretende introduzir portagens nas autoestradas do país e alargar a medida a toda a União Europeia. Segundo a agência Reuters, Andreas Scheuer quer implementar um novo plano nas autoestradas da zona comunitária durante o período em que a Alemanha tem a presidência do Conselho da União Europeia. O governo alemão discute a medida esta quarta-feira.

A proposta prevê que, nos próximos oito anos, quase todos os veículos motorizados tenham de pagar portagens.

Em relação aos estados-membros que já tenham estabelecido este sistema [é o caso de Portugal], as portagens ou tarifas devem ser aplicadas a todos os veículos à exceção de autocarros", refere o documento que Andreas Scheuer quer fazer passar junto dos restantes ministros do governo alemão.

Essa aprovação é necessária para que a proposta se torne oficial, num mandato alemão que começou a 1 de julho e vai até ao final do ano de 2020.

Apesar das intenções do ministro da Alemanha, a proposta parece estar longe de ser consensual no seio do executivo germânico. Em declarações à agência Reuters, várias fontes oficiais do governo alemão disseram que alguns ministros pretendem colocar o processo em suspenso, ainda que defendam a aplicação de uma medida deste género, vista como positiva para ajudar na luta contra as alterações climáticas.

Esse parece ser o caso da ministra do Ambiente. Segundo um porta-voz daquela tutela, Svenja Schulze está inclinada a rejeitar a proposta do seu colega de governo, defendendo que um sistema de taxas sobre as emissões de dióxido de carbono é preferível.

Não é sensível", disse o porta-voz da ministra quando perguntado sobre a proposta de Andreas Scheuer.

Caso venha a ser aplicada, esta medida introduz várias mudanças em muitos dos 27 estados-membros da União Europeia. No caso da Alemanha, que tem uma das redes de autoestradas mais desenvolvidas do mundo, só são aplicadas portagens a viaturas que transportem mais de 7,5 toneladas.

Além de Portugal, estados-membros como Espanha, França, Itália ou Grécia já têm portagens em todo o território e para todos os veículos motorizados.

Na totalidade dos 27 países da União Europeia, apenas Chipre, Estónia, Finlândia, Luxemburgo e Malta não aplicam quaisquer tarifas para a circulação rodoviária em autoestradas.

Existem ainda outros países, como a Bélgica, a Dinamarca ou os Países Baixos, onde só há portagens em algumas pontes ou túneis.

António Guimarães