Um jovem de 16 anos morreu esta terça-feira, na sequência de disparos da polícia da cidade de Acatlán de Pérez Figueroa, no estado de Oaxaca, México. A vítima, que foi identificada como Alexander Martinez Gómez, nasceu nos Estados Unidos, mas tinha nacionalidade mexicana.

Segundo os meios de comunicação mexicanos, a procuradoria de Oaxaca confirmou a morte do jovem esta quarta-feira, sem ter adiantado mais pormenores. Foi o município quem confirmou que a morte ocorreu na sequência de disparos efetuados por um polícia, sendo que o agente está ao dispor das autoridades para prestar esclarecimentos.

No mesmo comunicado, a autarquia de Acatlán de Pérez Figueroa descarta que se tenha tratado de um homicídio intencional.

A missão da corporação é sempre preservar a paz e a tranquilidade e o estado de direito na comunidade, sendo que este ato não foi cometido de má fé", acrescenta a nota.

Um dos deputados do estado de Oaxaca, Gustavo Diaz Sánchez, que também é presidente da Comissão de Segurança e Proteção dos Cidadãos, pede justiça para o jovem, afirmando que é necessária uma profissionalização na polícia mexicana.

Na mesma nota é confirmado que um outro jovem foi agredido. Carlos Ramos Santiago está no hospital em estado crítico.

Alexander Martinez Gómez estava a sair de uma loja quando foi alvejado. A polícia terá confundido o jovem com um ladrão e disparou um tiro que acertou na cabeça da vítima.

Esta notícia surge numa altura em que há uma escalada de protestos em todo o mundo contra a violência policial, em manifestações que surgiram na sequência da morte de George Floyd às mãos de um polícia norte-americano.

António Guimarães