Alexandra Zarini, neta de Aldo Gucci, o homem que transformou uma pequena empresa italiana numa marca de moda a nível mundial, entrou com uma ação no Tribunal da Califórnia, em Los Angeles, alegando que foi abusada sexualmente pelo ex-padrasto desde os seis até aos 22 anos.

De acordo com o The New York Times, Alexandra acusa não só o ex-padrasto, mas a mãe, Patricia Gucci, e a avó Bruna Palombo, por cumplicidade e encobrimento do caso.

Joseph Ruffalo, empresário no ramo da música que trabalhou com vários artistas de renome, costumava ir nu para a cama com Zarini, acariciava-a e tentava penetrá-la com as mãos. A herdeira revelou ainda que o ex-padrasto lhe mostrou os órgãos genitais e os esfregou contra ela.

A mãe é acusada de permitir que os abussos se realizassem continuamente e Bruna Palombo de a incentivar “a ficar quieta e encobri-los”, lê-se no processo.

No processo consta que ambas “tentaram evitar, a todo custo, o que consideravam ser um escândalo que poderia manchar o nome Gucci e potencialmente custar-lhes milhões”.

Alexandra, de 35 anos, acusa ainda a mãe de a agredir e tentar estrangular por diversas vezes. Era nestes momentos que Ruffalo "ajudava" a enteada a fugir e depois abusava dela. Também chegou o incentivar a enteada a consumir drogas, como cocaína. 

Num vídeo divulgado no Youtube, a herdeira disse que “se acham que isto não acontece em Beverly Hills, então devem saber que o meu agressor ainda mora na Califórnia, passa tempo no clube de campo de Bel-Air e é voluntário em vários hospitais infantis”

Ao que o New York Times apurou, Zarini já tinha apresentado queixa ao departamento da polícia de Beverly Hills e o processo continuava em aberto.

O que ele fez com ela é indesculpável e fiquei arrasada quando ela me contou tudo no consultório de nosso médico de família em Londres em setembro de 2007. Iniciei de imediato um processo de divórcio contra Ruffalo”, disse Patricia Gucci num comunicado.

A mãe negou todas as acusações que lhe foram dirigidas, bem como aquelas que envolviam o nome de Bruna Palombo.

Também o advogado de Ruffalo, Richard Crane, disse que o cliente não recebeu documentos legais sobre o caso.

Crane acrescentou que enquanto Ruffalo e Patricia eram casados “estavam muito preocupados com o bem-estar mental de Alexandra e tomaram medidas para lidar com a sua instabilidade”.

Redação / MS