Laboratórios em França e na Suécia analisaram os exames médicos efetuados ao opositor russo Alexei Navalny e confirmaram que se trata de um caso de envenenamento por um agente neurotóxico do tipo Novichok, anunciou esta segunda-feira o Governo alemão. 

"Renovamos o nosso apelo à Rússia para que forneça os esclarecimentos sobre o que se passou", refere o porta-voz do Governo de Berlim, Steffen Seibert.

Na mesma nota, o Governo reforça que "este envenenamento" constitui uma "grave violação" da Convenção sobre Armas Químicas. 

Alexei Navalny, conhecido pelos seus inquéritos anticorrupção dirigidos à elite política russa, sentiu-se mal durante uma viagem de avião em 20 de agosto e foi hospitalizado de urgência em Omsk, na Sibéria, antes de ser enviado para Berlim.

Segundo as autoridades alemãs, o principal opositor do Kremlin foi, “sem dúvida”, envenenado na Rússia por um agente neurotóxico do tipo Novichok, uma substância concebida na época soviética para fins militares e já utilizada contra o ex-agente duplo russo Serguei Skripal e sua filha Iulia, em 2018, em Inglaterra.

O Governo alemão e outros países ocidentais acusam as autoridades russas pelo crime, mas o Kremlin rejeita qualquer responsabilidade.

/ RL