A China restringiu as cidades de baixa densidade populacional de construírem “edifícios muito altos”, já que muitos destes prédios foram construídos maioritariamente por vaidade e não por ser algo prático.

O país é conhecido por ter alguns dos edifícios mais altos do mundo, como é o caso da Torre de Xangai, que tem 128 andares e 632 metros de altura.

No entanto, agora, as cidades com menos de três milhões de habitantes ficam impedidas de construir arranha-céus com mais de 150 metros. Em algumas exceções, o limite imposto pode ser ultrapassado, mas em nenhuma circunstância pode ser construído um prédio com mais de 250 metros.

Já as cidades com mais de três milhões de pessoas podem, em determinadas circunstâncias, candidatar-se à construção de um arranha-céus com mais de 250 metros de altura, mas estes edíficos nunca podem ultrapassar os 500 metros.

 No início deste ano, a China já tinha proibido a "arquitetura feia".

Estamos numa fase em que as pessoas são demasiado impetuosas e ansiosas para produzir algo que fique na história. Cada edifício pretende ser um marco e os urbanistas tentam alcançar esse objetivo indo ao extremo, tanto na novidade como na estranheza”, afirmou Zhang Shangwu, subchefe da Faculdade de Arquitetura e Planeamento Urbano da Universidade de Tongji, citado pela BBC.

 

Redação / IC