Índios da etnia Kulina estão a ser acusados de esquartejar e comer os restos de um jovem num ritual de canibalismo na cidade de Envira (região de Amazonas, no Brasil). Em entrevista à CNN, o agente Maronilton da Silva Clementino afirmou que pelo menos cinco índios encontram-se foragidos.

Segundo o jornal «Folha de S. Paulo», a vítima é um homem de 19 anos, morto na semana passada. Os índios terão fugido depois de passarem algumas horas detidos e podem ter-se refugiado na tribo, o que os protege das autoridades.

Clementino afirmou que a vítima, que conhecia a tribo, havia sido convidado para visitar a aldeia indígena na sexta-feira (6) passada.

«Eles conheciam-se e às vezes ajudavam-se. Os índios convidaram-no para a reserva na sexta-feira e nunca mais foi visto. A família decidiu entrar na reserva para procurar o jovem e encontrou o seu corpo esquartejado e a cabeça pendurada numa árvore», contou o polícia, acrescentando que testemunhos apontam para actos de regozijo por parte dos índios, dizendo que tinham comido órgãos humanos.

A etnia Kulina é um grupo isolado que vive nas margens dos rios Juruá e Purus, no Acre. Estima-se que ao menos 2.500 membros da etnia vivam na região.