A jovem ativista ambiental sueca, Greta Thunberg, apelou à participação na "greve climática" de sexta-feira em Madrid, onde começou a cimeira do clima, a COP25, esta segunda feira.

O apelo, que se se estende a protestos noutras cidades, é feito num artigo de opinião publicado no portal Social Europe, que divulga comentários e análises sobre temas políticos, económicos e sociais.

Mostrem à vossa comunidade, à indústria dos combustíveis fósseis e aos vossos líderes políticos que não vão tolerar mais a inação e as alterações climáticas", disse Greta Thunberg, que assina o artigo com as jovens ativistas alemã Luisa Neubauer e espanhola Angela Valenzuela.

Segundo as defensoras do clima, "a ciência grita por uma ação urgente" que os governantes "ousam ignorar".

"Por isso, continuamos a lutar", enfatizam, assinalando que a "crise climática" não está apenas relacionada com o ambiente, mas é também uma "crise dos direitos humanos, da justiça e da vontade política".

Aos líderes políticos que se deslocam a Madrid, onde decorre até 13 de dezembro a COP25, deixam um recado: "Os olhos de todas as futuras gerações estão em cima de vós, atuem em conformidade".