A polícia da Nova Zelândia fechou o aeroporto de Dunedin devido à descoberta de um pacote suspeito, dois dias depois do ataque a duas mesquitas em Christchurch, anunciaram as autoridades, neste domingo.

"O aeroporto de Dunedin está atualmente fechado", afirmam as autoridades em comunicado, adiantando que a polícia e equipas de especialistas estão no local para determinar a natureza do pacote suspeito.

Um funcionário da companhia Air New Zealand, que se encontra no local, disse à agência France Presse (AFP), sob condição de anonimato, que o terminal do aeroporto não foi evacuado.

Segundo o site de vigilância Flightaware, o voo 691 da Air New Zealand proveniente de Wellington teve de circular pelo espaço aéreo de Dunedin durante quase uma hora antes de voltar para a capital da Nova Zelândia.

O aeroporto também confirmou o encerramento no Twitter.

Na sexta-feira, um atirador matou 50 pessoas num ataque a duas mesquitas de Christchurch. O suspeito tinha licença e adquiriu as armas que usou para cometer os crimes de forma legal.

Brenton Tarrant foi já presente ao juiz Paul Kellar, do tribunal distrital, que lhe leu uma acusação de homicídio. Entrou no tribunal algemado e acompanhado por dois polícias e esteve perante o juiz cerca de um minuto. Vai regressar ao tribunal no dia 5 de abril.

Os ataques tiveram início às 13:40 (00:40 em Lisboa) nas mesquitas de Al Noor, em Hagley Park, e de Linwood Masjid.

Christchurch, com cerca de 376.700 habitantes, é a maior cidade da Ilha Sul da Nova Zelândia e a terceira maior cidade do país, localizada na costa leste da ilha e a norte da península de Banks. É a capital da região de Canterbury.

Brenton Tarrant reivindicou a responsabilidade pelos disparos e transmitiu em direto no Facebook o momento do ataque.