“Ouvimos as preocupações das pessoas, que estão preocupadas com o futuro, e isso significa que queremos reduzir, drasticamente, o número de [refugiados] que chegam até nós”, disse a chanceler à ARD.