A chanceler alemã deixou cair o plano de confinamento para a Páscoa, cedendo às críticas e assumindo que se tratou de "um erro", depois de se reunir de urgência, por videoconferência, com os 16 chefes dos governos federais, responsáveis por impor e suspender as restrições.

Angela Merkel passou, assim, do fecho de quase todo o comércio durante cinco dias (exceto supermercados), anunciado na terça-feira, para apenas pedir às pessoas para ficarem em casa.

Este erro é apenas o meu erro", terá afirmado durante a reunião, de acordo com fontes do governo citadas pela imprensa alemã.

Em causa estava um confinamento mais apertado entre 1 e 5 de abril, acordado na terça-feira com os 16 chefes dos governos federais, de modo a intensificar o combate à pandemia depois do aumento de novos casos.

Mas o anúncio da medida não foi bem acolhido, incluindo dentro do próprio partido, a CDU, mas recebendo também críticas da oposição, da igreja e dos empresários.

Assumo total responsabilidade por este erro de julgamento. Ao longo da minha experiência, aprendi que se tentar bater com a cabeça na parede, a parede vence", disse, alegadamente, Merkel aos 16 governantes, segundo o jornal Bild.

A decisão foi, entretanto, anunciada oficialmente, em conferência de imprensa, antes da deslocação de Merkel ao parlamento, o Bundestag, onde deverá ser questionada sobre este recuo.

A ideia de uma paralisação na Páscoa foi elaborada com as melhores intenções, porque precisamos urgentemente de conseguir desacelerar e reverter a terceira onda da pandemia. No entanto, foi um erro. Havia boas razões para isso, mas não pode ser suficientemente bem implementada neste curto período de tempo”, explicou a chanceler.

Tal como aconteceu na reunião com os líderes regionais, Merkel voltou a dizer que é a única responsável por este recuo.

Esse erro é um erro somente meu. Um erro deve ser chamado de erro e, acima de tudo, deve ser corrigido e, se possível, isso tem de ser feito a tempo. Ao mesmo tempo, sei que todo este assunto gerou mais incertezas. Lamento profundamente e peço desculpas a todos os cidadãos”, reiterou.

O número de novos casos de covid-19 continua a subir na Alemanha, com mais 15.813 infeções e 248 mortes contabilizadas nas últimas 24 horas, de acordo com as autoridades de saúde.

Catarina Machado