A polícia chinesa deteve um homem que tinha armazenadas quase duas toneladas de carne de espécies de animais selvagens e protegidas para as vender, informou esta quinta-feira o jornal chinês China Daily.

Ursos pretos, pangolins, corujas e até crocodilos dividiam-se entre um armazém refrigerado e um apartamento que o detido utilizava para guardar a carne, que posteriormente vendia restaurantes, segundo a polícia depois da detenção do suspeito.

O detido, identificado com o apelido Liang e de 58 anos, enfrenta uma pena de até dez anos de prisão, disse Liu Wenhao, membro do corpo de polícia florestal da cidade de Mianyang (província de Sichuan, sudoeste de China), em declarações citadas pelo China Daily.

A polícia procurava o vendedor desde o verão de 2015, altura em que começaram a chegar denúncias da venda de carne de urso num restaurante de Mianyang.