O arcebispo de Valência afirmou, este domingo, que há vacinas contra a Covid-19 a serem fabricadas a partir de "fetos abortados". Antonio Cañizares falou na homilia do Corpo de Cristo, onde disse ainda que "o diabo existe em plena pandemia".

Segundo o El País, o cardeal, que representa o setor mais conservador da Igreja Católica em Espanha, falou depois de ter lido algumas informações nas redes sociais, sobretudo em grupos ultracatólicos.

Deparamo-nos com a dolorosa notícia de que uma das vacinas se fabrica com base em células de bebés abortados. Isso é desumano, cruel e não podemos elogiá-lo nem benzê-lo, bem pelo contrário. Estamos a favor do homem, não contra o homem. Primeiro mata-se com o aborto e depois manipula-se. Que bom, que bem! Não. É mais uma desgraça, obra do diabo", afirmou, no seu discurso.

No seio da polémica, o arcebispado de Valência veio esclarecer as palavras do cardeal, afirmando que as mesmas se referiam a um artigo publicado na revista Science, que colocava dúvidas éticas sobre a utilização de embriões humanos na pesquisa de uma vacina contra o novo coronavírus.

Pela informação que vemos publicada, felizmente, as investigações estão a avançar e vamos ter uma vacina. A única coisa que acrescentamos é que, segundos as informações publicadas, parece que existem mais de cem linhas de investigação, e, entre elas, existe uma que poderia estar a ser produzida com métodos que podem abrir dilemas éticos. Assim, se estas publicações estiverem corretas, o desejável é que se consiga alcançar uma vacina que se produza sem abrir dilemas éticos", pode ler-se na nota.

Antonio Cañizares falou também sobre a retoma da atividade em Espanha, que foi um dos países mais afetados pela pandemia de Covid-19. Numa cerimónia que contou com as autoridades municipais, o arcebispo diz que só se deve retomar o essencial, como é o caso das missas.

Não podemos permitir que nos impeçam de celebrar a eucaristia, que é o compromisso que nasce da caridade a favor dos pobres, necessitados e também dos desempregados", acrescentou.

Segundo o referido artigo da revista Science, as referidas células correspondem a células fetais que foram retiradas de fetos abortados há "décadas". De forma mais concreta, a publicação diz que são utilizadas duas células: HEK-293, que pode ser encontrada nos rins e que é usada há vários anos, sendo que neste caso provém de um feto abortado em 1972; PER.C6, desenvolvidas a partir de células da retina de um feto abortado em 1985.

Estas células estão a ser utilizadas no desenvolvimento de seis das mais de 130 vacinas que estão a ser produzidas contra o vírus Sars-cov-2.

El País refere que Antonio Cañizares é conhecido pelas suas tiradas polémicas. Num dos casos, o cardeal afirmou que estava a ser perseguido por ter revelado um suposto "império gay" em defesa dos valores da família. Outra situação teve que ver com as migrações, quando o clérigo afirmou que os refugiados eram um cavalo de Tróia: "É tudo trigo limpo ou esta invasão vem com muita mistura?", perguntou.

António Guimarães