O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, pediu na sexta-feira a realização de eleições "livres e credíveis" na Mauritânia, onde a população é hoje chamada às urnas.

O chefe da ONU "vai acompanhar de perto os acontecimentos na Mauritânia durante as eleições legislativas, regionais e municipais marcadas para o dia 1 de setembro [hoje]", informou em comunicado o seu gabinete.

Guterres pede esforços para "garantir o Estado de Direito" e o respeito pelos direitos humanos de "todos os mauritanos", de acordo com a mesma nota.

As eleições agendadas para hoje são um teste ao regime do Presidente Mohamed Ould Abdel Aziz, a menos de um ano das eleições presidenciais, marcadas para meados de 2019.

Aziz, de 61 anos, chegou ao poder depois de um golpe de Estado em 2008. Foi eleito em 2009 e novamente em 2014 para um segundo mandato de cinco anos.