O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, aterrou, nesta terça-feira, na Somália, numa visita de emergência ao país devido à fome.

As pessoas estão a morrer. O mundo tem de acabar com isto agora”, escreveu António Guterres na rede social Twitter, ao anunciar a chegada àquela nação do Corno de África.

 

A Somália faz parte de um plano de ajuda avaliado em quatro mil milhões de dólares (3,77 milhões de euros) para as quatro nações afetadas por conflitos e pela fome.

Os outros países são a Nigéria, o Iémen e o Sudão do Sul, onde foi declarada a fome.

No fim de semana, a Somália, que já declarou o estado de "desastre nacional", fez um primeiro balanço das vítimas da fome e da seca, anunciando que em 48 horas morreram 110 pessoas na mesma região. 

Desde janeiro foram já registadas 196 mortes em 11 regiões do país, enquanto mais de 7.900 pessoas foram afetadas pelo surto de cólera, devido à falta de água potável.