O secretário-geral da ONU alertou esta segunda-feira para a ameaça que constitui a degradação dos oceanos. António Guterres apelou às nações que "abdiquem dos interesses nacionais a curto prazo para evitar uma catástrofe global a longo prazo".

Falando na abertura da Conferência Mundial sobre os Oceanos, que decorre até sexta-feira na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, nos EUA, o antigo primeiro-ministro português mostrou-se determinado a "inverter o caminho" e apelou aos estados membros para dialogarem e encontrarem uma nova forma de se relacionarem com os oceanos.

Se não o fizerem, as ameaças que enfrentam vão da subida dos níveis do mar ao aquecimento das águas, acidificação, destruição dos corais e perda de espécies, entre outras. A contaminação ambiental, a pesca sem controlo e as alterações climáticas contribuíram para a degradação dos oceanos, apontou.

mudança nas correntes marítimas terá um sério impacto nos padrões meteorológicos e devemos estar preparados para tempestades e secas mais frequentes", alertou António Guterres.

 

Nós criámos estes problemas", admitiu Guterres, que censurou os governos que não aproveitam ferramentas que têm ao dispor, como a convenção sobre o direito marítimo ou a plataforma ONU Oceanos.

Com a conferência, pretende-se dar visibilidade internacional ao objetivo de utilização responsável dos oceanos inscrito na agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável.