Níveis nunca antes vistos são os atingidos pelo buraco da camada de ozono nesta Primavera no Árctico. Segundo a Organização Mundial de Meteorologia, as causas para tais níveis estão relacionadas com a presença de substâncias tóxicas na atmosfera.

Um comunicado divulgado esta terça-feira, pela mesma organização adianta que a partir de algumas experiências realizadas no Árctico, a camada de ozono apresenta neste momento uma redução de 40 por cento entre o Inverno e o final de Março. Superando assim, o seu recorde anterior que rondava os 30 por cento.
Redação